23.4 C
Soledade
quarta-feira, 26 de janeiro de 2022

Bebê a bordo: um presente para a família!

A cada dia tenho ainda mais certeza de que a maternidade é sensacional. Tenho gostado tanto da gestação que as vezes me pergunto o porquê não engravidei antes. Mas acredito muito em propósitos, e tenho vivido os dias de forma leve e não tão pesada como antigamente.

Penso que a maturidade vai me fazer uma mãe melhor, e todos os dias penso na forma em que fui criada pelos meus pais, sempre muito humilde, mas rica daquilo que o dinheiro não compra: amor e carinho. Por isso, quero repassar tudo que aprendi ao meu filho (a).

Tenho pensado muito em fazer a sexagem fetal para saber se é menino ou menina, e a ansiedade é tanta que os nomes até já estão escolhidos. Se for menina, vai se chamar Maria Helena, em homenagem às duas mulheres que eu admiro muito e que fazem parte de nossas vidas. Se for menino, será João Rodolfo, levando o nome do pai. Mas independente do sexo, esse pequeno anjo já é muito amado e já preencheu nosso lar de amor.

Sobre minha rotina das últimas semanas, quero compartilhar que nos últimos dias fui fazer a reposição de ferro, e agora estou me sentindo melhor, pois os enjoos estão passando. Também, no final de semana, passei rodeada de muitos cuidados pelo melhor médico do mundo, o Dr. Léo, meu sobrinho de quatro anos, aonde passei por uma consulta para analisarmos como estava o bebê. É uma alegria ver o quanto todos estão ansiosos pela tua chegada filho (a).

Na quarta-feira, fui na casa do meu irmão mais velho, quando meu outro sobrinho, João, me questionou: “Tia Édna, eu não quero ter um primo. Eu estava pensando bem e quero ter um irmão. O bebê pode ser meu irmão?”. Eu, emocionada e confusa, respondi: “Claro, vocês podem sim ser irmãos”. Depois, acabei me questionando do porquê dessa pergunta, mas agora entendo que somos exemplos para as crianças, e o João quer uma relação como a minha, a do seu pai e do Leandro, pois somos muitos próximos e unidos.

Tenho um imenso orgulho dos meus irmãos. O Evandro é como um pai para mim e o Leandro, pois perdemos a nossa mãe cedo, e ele sempre nos encaminhou para o caminho certo. Já o Leandro é meu melhor amigo desde o nascimento, tenho muita sorte, e com certeza meu filho (a) também vai ter, pois vêm para uma família cheia de amor, carinho, respeito, e principalmente valores.

Destaques

Últimas notícias