19.6 C
Soledade
segunda-feira, 06 de dezembro de 2021

Educadores realizam ato público em Porto Alegre

No Dia do Professor, comemorado em 15 de outubro, professores e funcionários de escolas estaduais de todo o Rio Grande do Sul realizaram um ato público em Porto Alegre para exigir 47,82% de reposição salarial. A mobilização iniciou às 9h30, em frente ao IPE Saúde, e seguiu em caminhada, às 11h, até o Palácio Piratini.

Uma comitiva do 28º Núcleo do CPERS/Sindicato, com sede em Soledade, também esteve presente na mobilização. Conforme Sandra Régio, Diretora Central do sindicato, a manifestação teve como propósito expor as condições salariais da categoria. “Os nossos salários estão muito aquém daquilo que merecemos, e precisamos buscar a reposição para todos os educadores, tanto aqueles ativos quanto os aposentados, os especialistas e funcionários”, disse.

Ela destaca que o CPERS é um dos maiores sindicatos da América Latina e que se faz necessária a luta incessante pelos direitos da classe. “Há muitos anos, a nossa categoria parece invisível para os governos, pois nossas condições de trabalho são precárias. A maioria das escolas estaduais não tem condições de receber a demanda de toda a comunidade escolar. Além disso, neste período de pandemia, não tivemos surto de coronavírus, mas nossos professores permaneceram trabalhando, mesmo que sobrecarregados, pois muitos tiveram que aprender a trabalhar com as tecnologias, tiveram despesas financeiras para adquirir celulares, computadores e internet, mas isso o governo não reconhece”, salienta.

Por fim, Sandra pontua que os educadores estão lutando pela reposição da inflação. “Hoje, o governo já nos deve 47,82% da inflação, que é uma obrigatoriedade dos governos. Os salários estão muito defasados, e isso acaba não sendo atrativo para outras pessoas seguirem na profissão de educadores, por isso buscam se formar em outras áreas, tendo em vista que a educação é essencial para a formação dos cidadãos e de uma sociedade melhor”, finalizou.

Destaques

Últimas notícias