18.2 C
Soledade
terça-feira, 05 de julho de 2022

Granja Portella dá o start da avicultura na região

Um momento para ficar marcado quanto ao início das atividades da nova cadeia produtiva em Soledade e região. Assim será lembrado o dia 15 de junho de 2022, ocasião em que foi realizada a entrega do primeiro alojamento dos lotes de frango para produtores integrados da Vibra

Um momento para ficar marcado quanto ao início das atividades da nova cadeia produtiva em Soledade e região. Assim será lembrado o dia 15 de junho de 2022, ocasião em que foi realizada a entrega do primeiro alojamento dos lotes de frango para produtores integrados da Vibra.

Para marcar o pontapé inicial de uma jornada de grandes investimentos e expectativas na avicultura, a Granja Portella, localizada na comunidade da Raia da Pedra, interior de Soledade, foi a primeira a receber o alojamento.

Com investimento de R$ 2.400.000,00 (dois milhões e quatrocentos mil reais), Adelar Portella da Silva e Terezinha Vanzetta prospectam alojar cerca de 90 mil pintos em dois aviários de tamanho 165×16. Como suporte e apoio para o investimento, os produtores contaram com a Sicredi Botucaraí RS/MG, que viabilizou o recurso para a construção.

“Conseguimos fazer esse investimento graças à nossa parceira com a Vibra e o Sicredi. Se eles não tivessem nos dado essa oportunidade, não teríamos condições de investir esse valor na propriedade. Ficamos felizes em poder contar com pessoas tão especiais, que além de profissionais, se preocupam em incentivar e dar oportunidades para crescermos todos juntos”, relatou Terezinha.

Investimento para garantir o futuro

Anteriormente, o casal trabalhava apenas com lavouras e pecuária de leite, e agora aposta em uma nova matriz produtiva. “Não estava em nossos planos fazer um investimento deste tamanho, mas depois de conversar com o Elmar do Sicredi e o pessoal da Vibra, percebemos que poderia ser um bom negócio e decidimos investir. Somos gratos pela relação de confiança que temos com a cooperativa, porque eles confiaram em nós, vieram visitar a propriedade liberaram o recurso para construir os aviários”, comenta Adelar.

Para o patriarca da família, o investimento é fundamental para a continuidade do negócio através dos seus dois filhos. “Vamos ter muito serviço para eles, para que futuramente fiquem no campo, trabalhem e tirem seu sustento daqui”, disse.

Os produtores também contam com a energia trifásica da Cerfox para os aviários. “Através dessa parceria de todos conseguimos realizar esse investimento. Agradecemos aos técnicos da Vibra, ao Sicredi e a todos que nos plicaram e ensinaram sobre essa nova atividade”.

Sicredi, lado a lado com o produtor

A Sicredi Botucaraí RS/MG não mediu esforços para auxiliar os produtores na realização desse sonho, e no dia em que receberam o primeiro alojamento, a cooperativa fez questão de estar presente prestigiando o ato.

Conforme o Gerente de Negócios da cooperativa, Cledir Perius, tão logo a Vibra se instalou em Soledade, o Sicredi já se comprometeu em buscar viabilidades para financiar recursos aos associados interessados em trabalhar com a empresa. “Muitos dos empreendimentos que estamos vendo hoje, foram financiados com recursos próprios da cooperativa, pois mesmo sem uma linha específica ou recurso subsidiados para isso, nós de imediato tentamos atender o associado, por isso disponibilizamos recursos nesse sentido, para que esse desejo pudesse se tornar realidade”, frisou.

Ele também ressaltou a importância do empreendimento, considerando que o agronegócio é fundamental para todos. “Tudo o que consumimos na cidade começa no interior, e o Sicredi é uma cooperativa de pessoas, que também começa no campo. Hoje, temos as nossas agências pensadas em atender os associados em tudo o que precisam, mas a nossa cooperativa tem a sua origem na propriedade rural, onde começa a produção, onde dá sentido à essa ideia que fez surgir a cooperativa que o Sicredi é hoje”, mencionou.

Cledir ainda foi enfático ao dizer que a cooperativa também se preocupa em contribuir para a sucessão familiar no interior. “Acredito que nós entregamos muito mais do que uma estrutura, porque estamos dando a oportunidade para que os filhos desses produtores fiquem aqui e deem continuidade ao empreendimento que o pai começou. Isso é muito importante porque estamos plantando, além de uma oportunidade de sucessão familiar segura e com visão de futuro, o investimento no agro que é tão fundamental para todos nós. Não temos como viver e manter uma cidade sem ter esse elo tão importante funcionando muito bem para manter tudo viável”, complementou.

Vibra projeta crescimento

Durante a entrega do primeiro alojamento, representantes da Vibra também estiveram prestigiando o ato. Conforme o gerente de produção, Charles Eduardo Stefanello, nesse momento a empresa projeto abater 35 mil aves por dia, atingindo o montante de 90 mil até o final do ano. “Temos 60 produtores integrados, que vão ir alojando na sequência, primeiro os aviários novos, os climatizados e depois os convencionais”, explicou.

Ele ainda informou que os produtores Adelar e Terezinha receberam o alojamento no dia 15 de junho e depois de 28 dias será realizado o carregamento para abate em Soledade no dia 11 de julho. “Estamos iniciando esse projeto na região com uma expectativa muito grande, apesar de estar atrasado ao que tínhamos planejado. Mas acredito que essa é uma oportunidade para os produtores que já estão na atividade há mais tempo e para aqueles que querem ingressar”, considerou.

De acordo com Charles, até o final do ano a Vibra já possui integrados suficientes para abate, mas, segundo ele, para o início de 2023 a empresa vai precisar de novos aviários e produtores interessados em integrar. “As pessoas interessadas podem nos ligar ou entrar em contato pelo e-mail expansã[email protected], onde vamos direcioná-los para o analista de expansão e ele vai dar encaminhamento aos procedimentos”, destacou o gerente.

Realizando um sonho na região

O diretor de originação da Vibra, Otávio Ramires de Aguiar Conde, também comentou que a empresa nasceu no Rio Grande do Sul, mas não tinha nenhum frigorífico em solo gaúcho. “Por ser uma empresa originalmente de capital gaúcho, nós queríamos voltar ao Estado, e construir um frigorífico aqui sempre foi um grande sonho. Agora, em Soledade, estamos construindo um projeto do zero e um projeto dos sonhos, não para a empresa, e esse começa tendo uma relação com o nosso principal e mais importante parceiro de negócios, que é o produtor. Há mais de um mês a Vibra vem fazendo treinamento constante com todos os produtores, visando não só o bem-estar dos animais, mas do produtor também. Nós entendemos que o agronegócio é o futuro, e não é fixando as pessoas na cidade, mas trazendo sustentabilidade no campo que vamos conseguir ter melhores resultados. Então, para nós, desde o princípio, essa relação com o produtor é primordial. Nós temos um projeto a nível corporativo na empresa de extensão rural, onde a gente vê não só os nossos frangos dentro do galpão, mas a propriedade como um todo do produtor, de como conseguimos ajudá-lo, porque se o produtor estiver bem, a Vibra vai bem, e a gente tem isso muito claro”.

Por fim, Otávio também fala sobre como a empresa visualiza em termos econômicos a região de Soledade. “O que nos chama mais atenção aqui é a característica do produtor rural. Não temos grandes extensões de terra, mas temos a resiliência do produtor, com condições adversas de clima, frio, topografia que não é favorável para grandes lavouras, mas o produtor é resiliente, e isso é importante porque acreditamos que essa região tem um potencial de desenvolvimento muito grande, por isso que estrategicamente escolhemos colocar hoje um dos nossos principais investimentos aqui”, concluiu.

Destaques

Últimas notícias