Entrevista

Renan Leite Macedo


Andar de bicicleta é uma atividade física extremamente prazerosa que traz diversos benefícios para a saúde. A sensação de bem-estar e a redução do estresse do dia a dia são sentimentos indescritíveis para quem é fã do esporte. Quem não gostaria de se sentir livre, com o vento no rosto e ainda apreciar lindas paisagens e descobrir lugares novos e incríveis?

O Engenheiro Civil Renal Leite Macedo é uma dessas pessoas. Com a sua bike e dispondo apenas da própria companhia, ele percorreu muitos quilômetros para chegar até o seu destino. Confira os detalhes dessa história na entrevista que o atleta concedeu à equipe do Jornal Informativo Regional. 


Jornal Informativo Regional - Qual foi a sua motivação para pedalar até o Uruguai?

Renan Leite Macedo - Na verdade, a motivação inicial sempre foi conhecer Buenos Aires. O caminho pela costa uruguaia se desenhou depois do início da viagem. Conhecer praia por praia do Uruguai foi um desejo que só surgiu quando atravessei a fronteira. Mas o destino final da viagem sempre foi a capital Argentina.


Jornal I R - Você planejou com antecedência?

Renan Leite Macedo - Me dei essa viagem de presente de formatura. A grana era curtíssima e a possibilidade de ir tão longe com um meio de transporte tão independente me fascinava. O estalo e a ideia da viagem surgiu aproximadamente seis meses antes, quando entrei no último semestre da faculdade. Então, posso dizer que planejei, de verdade, apenas na última semana, que foi quando reuni tudo o que ia levar na bagagem e caiu de fato a ficha de que ia viajar de bicicleta.


Jornal I R - Passou por muitas dificuldades no percurso?

Renan Leite Macedo - Posso afirmar que viajar de bicicleta é um esforço muito mais psicológico do que físico. Pedalei dias inteiros de chuva intensa e o único lugar que encontrei para me abrigar foi uma parada de ônibus cheia de goteira. Muitas vezes, entre minha cidade de partida e de chegada, não tinha nem posto de gasolina. Lembro um dia que estava tão cansado, que parei em uma lancheria na beira da estrada e pedi se poderia dormir um pouco no galpão da propriedade para depois seguir viagem. Até por um assalto eu passei, em Buenos Aires, em que roubaram a minha bicicleta por uns momentos. Foi bem tenso, mas no final tudo ficou bem.


Jornal I R - O que te marcou de bonito na viagem?

Renan Leite Macedo - A viagem toda é linda. Varia de caminhos rurais, estâncias gigantescas na proporção do RS rumo à fronteira até estradas de chão batido no interior do Uruguai. Passei o réveillon em uma reserva ambiental chamada Cabo Polonio, que só se chega de transporte 4x4, pelas dunas. A capital Montevidéu também é magnífica. Quando viajamos de bike, nós somos a paisagem. O ponto de vista muda completamente e a forma como se percebe as paisagens é incomparável. Fica difícil dizer qual lugar foi mais bonito.


Jornal I R - Quanto tempo e quantos quilômetros você pedalou?

Renan Leite Macedo - Aproximadamente 1400 km, em 14 dias. Fui pedalando, voltei de ônibus até pelotas e depois peguei carona até Soledade. Realmente, Buenos Aires é um show à parte.