Rural

Por uma alimentação saudável


A Emater Ascar de Soledade tem uma preocupação muito grande com o pessoal do campo, por isso, está sempre disponibilizando cursos de aperfeiçoamento. Nessa semana, a instituição ofereceu para o grupo da terceira idade Renascer, da comunidade do Mato Alto, uma oficina sobre aproveitamento integral de alimentos. Quem ministrou o curso foi a extensionista Juliane Pires.

Segundo ela, trabalhar questões alimentares desde o cultivo até o consumo é uma das atividades elencadas no plano socioassistencial da Emater. “Entendemos que uma vez identificado que muitas famílias encontram dificuldades na produção de alimentos suficientes e ricos para uma alimentação saudável e equilibrada nutricionalmente, nossa função é ajudar na melhora da qualidade de vida dessas pessoas”.

Dessa forma, conforme Juliane, o foco das ações com o público assessorado é a produção com redução do uso de agroquímicos, tanto para o autoconsumo quanto para a comercialização do excedente. “Queremos incentivar o aproveitamento integral, buscando reconhecer, utilizar e incentivar o cultivo de alimentos da biodiversidade local, priorizando sementes e mudas crioulas”, explicou.

O aproveitamento de todo o alimento é a melhor forma de preparo para que os nutrientes não se percam. “É importante que as pessoas saibam que consumir as partes geralmente descartadas, como sementes, cascas, talos, folhas e flores faz bem. Para isso, diversas ações vêm sendo desenvolvidas em algumas comunidades do interior, como palestras, fóruns, oficinas, rodas de conversa, distribuição e troca de sementes e mudas”.

Combater situações de vulnerabilidade social demanda medidas que muitas vezes, causam resultados a médio e longo prazo. “Por isso, no que tange a questão alimentar, o foco do nosso trabalho é orientar e motivar as famílias rurais para que adotem práticas de cultivo e atitudes que favoreçam para uma melhor qualidade de vida, evitando vulnerabilidades e riscos para a saúde diante de hábitos alimentares inadequados”, concluiu.