Série de Reportagens

Liberalismo


Dando continuidade a série de reportagens, a intenção dessas matérias é fazer as pessoas lerem com a cabeça aberta e sem pré-conceitos, a fim de entender o real significado de cada tipo de sistema, sem influenciar ideologicamente o leitor. Serão apresentadas definições sobre anarquismo, comunismo, conservadorismo, fascismo, liberalismo, nacionalismo e socialismo. Boa leitura!

“O Liberalismo é um fenômeno social humano. Verdadeira ideologia que ultrapassa os limites impostos pela política ou economia”. É dessa forma que o advogado Felipe Borges de Oliveira descreve esse sistema político. Segundo ele, “de maneira superficial, podemos dizer que o Liberalismo representa a máxima da liberdade individual da pessoa, cuja materializaçãoalcançamos somente quando presente o Estado Democrático de Direito”.

Essa forma de sistema ou de teoria política tem como objetivo enfatizaros valores individuais de liberdade e igualdade, sempre fundamentado em algo. “O exercício de poder pelo Estado deve se dar somente no que a Lei assim permitir. Já o cidadão, tudo pode fazer desde que a Lei não proíba. Ou seja, há claros limites ao poder do Estado, este só podendo atuar dentro dos limites legais e para solucionar conflitos dos particulares quando provocado”, disse Felipe.

A teoria liberalista surgiu por influênciado iluminismo europeu a partir do século XVII, como forma de se oporao Estado absoluto e defender a independência da sociedade civil, do espaço culturale econômico, batendo defrente com o Estado. A partir disso, entende-se que a história do liberalismo tem ligação direta ao próprio desenvolvimento da democracia nos países do ocidente.

“A ideia de liberalismo como conceito é atribuído ao filósofo inglês Jonh Locke e as aparições desse fenômeno se deram nas Revoluções Francesa e Americana, se apresentando como fiel opositor ao conservadorismo, ao poder centralizado da monarquia e da “confusão” politica-religião / Estado-igreja. Portanto, éinegável afirmar que o liberalismo anda de mãos dadas com a democracia”, explicou o advogado.

Segundo Felipe, é preciso tomar cuidado para não confundir o Liberalismo com o Neoliberalismo. “Este último representa o Estado mínimo,ou seja, muito pouca ou nenhuma intervenção do Estado no mercado e na economia,traduzindo-se em precarização de direitos trabalhistas e minimização do poder do Estado de interferir no mercado”. Isso significadizer que esse sistema defende a liberdade de mercado e a restrição à intervenção estatal sobre a economia.

Portanto, é possível afirmar que o liberalismo exerceu grande influência em todo o processo de democratização das sociedades ao redor do mundo.“Também, se mostrou como alternativa aos abusos de poder do Estado contra os cidadãos. Reiteramos, liberal é um defensor da Constituição, defende não somente os indivíduos, mas principalmente o Direito, mesmo que isso se traduza em contrariar interesses pessoais em nome do direito, da liberdade e igualdade e do ‘bem estar social’”, concluiu Felipe.