Reportagem Especial

Abuso sexual infantil em Soledade

Por Caroline Moraes

No ano de 2018 onde a comunidade soledadense e regional ficou transtornada devido ao abuso sexual sofrido por uma garotinha de apenas 8 meses de vida no Bairro Farroupilha, em Soledade. A tragédia levou à morte da criança após complicações provocadas por uma asfixia após um período internada num hospital do município de Passo Fundo causando comoção devido ao acontecimento bárbaro.

Interrogado, Vinícius Carvalho, atual presidente do Conselho Tutelar de Soledade, disse que quando há casos de suspeita de abuso sexual ou esta violência efetivada a menores de idade, a primeira etapa na tomada de providências é o encaminhamento da vítima para a realização de exame para comprovação ou não do fato pelos integrantes da equipe que, quando confirmado, há o registro de ocorrência junto à DPPA (Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento) e após isso não possuem informações de possíveis condenações, prisões ou retirada de culpa ao acusado.

Portanto, segundo ele, as únicas informações sobre o caso não passam de boatos sem averiguações. O Conselho Tutelar conta hoje, de acordo com o presidente, com 5 profissionais conselheiros para atender o Município, sendo fora o presidente, Getúlio Prates Muniz, Loriva Moureira, Débora Batista, Noeli Campos e a suplente que cobre o rodízio de férias e demais necessidades de substituição dos agentes, Ivoni Bueno da Silva.

Conforme Carvalho, estes residem nos bairros Ipiranga, Farroupilha, Fontes e Botucaraí, não possuindo um representante apenas nos bairros Expedicionário e Missões. “Em média atendemos a 2 casos por mês de abuso sexual em Soledade. Em 2018 ocorreram cerca de 10 casos no ano aqui. Geralmente essas ocorrências são praticadas por alguém próximo à criança, como pai, padrasto, tio, primo etc” informou.

“Por isso aconselho a todos os pais e/ou responsáveis a ter mais atenção e cuidado com seus filhos, e também estarem por dentro das redes sociais muito utilizadas em tenra idade atualmente, pois esse tipo de crime também ocorre via internet. Onde há suspeita de abuso, o acusado tem ordem determinada de sair da residência (quando mora junto à possível vítima) ou, se ele não sair, o menor de idade é retirado da casa, até a resolução do caso” relatou o presidente.

O Conselho Tutelar de Soledade atua 24 horas por dia. Denúncias podem ser realizadas, conforme Vinícius, pelos fones (54) 99133-4245 e (54) 3381-2644.