Notícias

Brigada Militar soledadense recebe equipamentos novos

Por Keilly Camargo

Na manhã desta quinta-feira, 7/2, a Brigada Militar de Soledade recebeu novos equipamentos menos letais que serão utilizados nos patrulhamentos diários, como gases de pimenta, granadas de efeito moral e armas de Airsoft.

 Segundo o comandante da 2ª Companhia da Brigada Militar, Cassiano Boscardin “São equipamentos que adquirimos com recursos do Poder Judiciário, com o intuito de preservar a integridade física dos conduzidos pela BM. Existe uma lei de 2015 que determina que todos os agentes de segurança tenham em seu poder de uso, pelo menos dois equipamentos menos letais, antes de realizar o uso da força letal. Na sexta-feira, 8/2, faremos a habilitação com o efetivo da segunda companhia do Município juntamente ao batalhão de operações especiais de Carazinho, que também já recebeu esse equipamento. A Brigada não sai à rua pra machucar alguém, portanto, esses equipamentos são de extrema importância. A pessoa abordada ficará momentaneamente incapacitada, mas após o efeito retorna normalmente”, assinalou.

De acordo com ele, existem novos equipamentos comprados e que já foram pagos pelo Estado, tendo recursos oriundos do Grupo de Gestão Integrada dos mesmos, mas que em torno de 60 dias já devem estar disponíveis para os policiais soledadenses. “As munições que recebemos, irão ser utilizadas na guarda do Presídio Estadual de Soledade, pois não causa efeito colateral, atingindo um alvo só, sendo ainda maior sua eficácia” disse.

Ele ainda ressaltou que a BM faz o trabalho de “enxugar gelo”, pois na maioria das vezes, os abordados pela Brigada são sempre os mesmos, e como sugestão de melhoria alterações na legislação e leis determinantes, entre outras opções. Conforme o promotor da Comarca de Soledade, Diego Prux, para melhorar a segurança pública deve-se melhorar as forças policiais.

“Com a entrega desse novo armamento se deu um fortalecimento e uma nova qualificação aos guardas, e a sociedade ganha muito com isso. Não adianta termos os melhores equipamentos sem ter pessoas qualificadas para usá-las, e segundo o capitão Boscardin têm-se condições para haver treinamentos para usufruí-los. Esse recurso é oriundo da sociedade, sendo administrado e gerido pelo Poder Judiciário, pois é alimentado pelas verbas de transições penais, ou seja, alguém em vez de responder um processo criminal ou que possua bons antecedentes, ele é compelido e obrigado a pagar uma cesta básica, onde o valor alimenta esses fundos” enalteceu ele.  

O promotor ainda argumentou dizendo que a Casa Prisional soledadense está longe de ser considerado um presídio lotado com as condições dos presos sendo desumanas, como é o Presidio Central. “O Ministério Público age conforme a lei. Muitas vezes, a autoridade policial pede a prisão, e esse se manifesta favorável, mas o Poder Judiciário pode entender que aquela situação foi ilegal ou legal, mas evidentemente, entende que a pessoa pode responder o processo solto, pois quem decide, prende e solta é este Poder, avaliando a situação como bem entender” comentou.

Na próxima semana teremos reuniões, em vista de que temos novos projetos, mas sempre pensamos em finalizar um para poder iniciar outro. Estamos dialogando com o município para a aquisição de drones, para uma melhor proteção, inclusive na área ambiental, que repercute na prevenção da criminalidade” concluiu o promotor sobre novos projetos.

Os equipamentos foram adquiridos por meio de projetos encaminhados pelo Consepro, em parceria com o Poder Judiciário e o Grupo de Gestão Integrada dos Municípios.