História de Vida

Soledadenses cada vez mais presentes nos esportes

Por Informativo Regional

Administradora e mãe, Ana Rosa Cunha se tornou ciclista em prol de sua saúde, bem estar e de sua família. “Há 10 anos iniciei a prática de esportes, logo após minha primeira gravidez. Foi uma gestação de alto risco, onde eu e minha filha Dora podíamos não sobreviver, mas graças a Deus conseguimos. Após o parto, depois de amamentá-la, quando ela já tinha 10 meses, tive que realizar uma cirurgia no coração, e a partir daí comecei a dar outro rumo à minha vida, pois precisava cuidar de mim para viver mais e melhor. Comecei a praticar atividades físicas (como todas as pessoas devem fazer) através de caminhada, pilates e corrida” enfatizou.

Na segunda gravidez, há pouco mais de 3 anos, Ana Rosa apresentou gastrite nervosa. “Avistando uma possibilidade de melhoras, meu marido que já pedalava me convidou para praticar o Ciclismo também, me presenteando com uma bike e meus pais se disponibilizaram para cuidar das nossas filhas durante essa atividade.

Para a continuidade disso, ela teve apoio, disposição e contou com amizades dedicadas para ampliar a prática do esporte, de acordo com ela. “O grupo Galos do Pedal nos ajudou muito, e a partir disso, eu juntamente a duas amigas minhas criamos nosso grupo chamado Salto Alto no Pedal, onde a cada dia que passava apareciam mais meninas querendo participar. Atualmente estamos em dois grupos, compostos por mais de 60 mulheres que pedalam cada uma no seu ritmo e tempo próprio” disse Cunha.

Falta de tempo não foi uma desculpa usada por Ana Rosa, pois conforme ela, apesar de não ser fácil administrar uma firma juntamente ao marido, cuidar de duas filhas e treinar, seu esposo possui uma visão muito “para frente” quanto à suas responsabilidades, e em vista disso, o casal se divide e ajuda um ao outro em tudo, atitude esta que cai muito bem em qualquer relacionamento que pretende ser duradouro e saudável a ambos os envolvidos.

A prática de um esporte é benéfica também às crianças que terão bons hábitos sendo disseminados para se espelharem, à sociedade como meio de transporte mais econômico e que libera o tráfego do trânsito mais rapidamente vagando estacionamentos e ecologicamente sustentável ao meio ambiente por não liberar resíduos tóxicos nele. “Sinto-me muito responsável como mãe na questão de dar exemplo sendo forte, estudando, - pois eu gosto muito de escrever, sou formada em Letras e tudo o que escrevo transformo em texto -, cuidando da alimentação e mantendo-me saudável” pontuou.

“Para mim, ser mulher é algo maravilhoso e sublime, pois somos e temos que ser muito fortes, já que conquistamos muitas coisas nas últimas décadas, mas não podemos nos esquecer de cuidar de nós mesmas: corpo e mente, nos mantermos unidas e nos ajudar mutuamente, pois nem sempre as coisas são fáceis e buscando sempre incentivar o bem” acrescentou ela.