História de Vida

Africana adota a região como lar

Por Informativo Regional

Carla Lima de Quadros, é mãe, médica, migrou mais de 4.663 km e acabou se tornando soledadense de coração. Pelo seu atendimento diferenciado aos seus pacientes, obtêm-se da comunidade muitos elogios quanto à forma que trata as pessoas e pela própria pessoa que é: atenciosa, educada, empata e competente, mostrando real comprometimento e dedicação em ajudar as pessoas que precisam de auxílio por estarem sofrendo com enfermidades através de sua atuação profissional.

“Eu nasci no país Cabo Verde, no Continente vizinho ao Brasil, a África. Vim para este País fazer faculdade em Santa Maria/RS (UFSM). Especializei-me em medicina de família e comunidade na Escola de Saúde Pública Murialdo, em Porto Alegre. Vim para Soledade por uma oportunidade de emprego após trabalhar e morar em Ibirapuitã por 8 anos. Fui muito bem recebida aqui tanto pelos colegas quanto pela comunidade. Gosto muito de morar e trabalhar nesse Município” contou ela.

Sua decisão de tornar-se médica, segundo a Doutora, foi ao cursar o segundo grau e permaneceu com essa ideia. “Adoro e amo o que faço” revelou confirmando o que transparece a todos que são atendidos por ela. Conforme Carla, não há médicos em sua família. A médica comentou que no início sua jornada foi complicada principalmente por ser mulher e ser negra... “Vivi muitas vezes situações preconceituosas superadas com dedicação e trabalho” afirmou a caboverdiana.

“Ser mulher pra mim é a luta diária contra o machismo, contra o preconceito e correr atrás todos os dias do que considero ideal: trabalhar, cuidar da minha família e das pessoas que amo. Adoro ser mulher, e não tem essa de ‘sexo frágil’. Atualmente as mulheres se deram conta do seu grande potencial” finalizou mostrando a guerreira de fibra que é.