História de Vida

Mulher soledadense quebra barreiras culturais e profissionais

Por Informativo Regional

“Ao longo dos anos, a mulher vem se superando cada vez mais na busca de seu espaço. Mesmo atuando num universo predominantemente masculino, conseguimos quebrar as velhas barreiras culturais no que diz respeito à escolha da nossa profissão. Temos a mesma formação que os homens e aprendemos a controlar nosso medo, somos respeitadas e conquistamos nosso espaço com muita competência.

Ser policial militar vem de família. Meu pai é Sargento aposentado e minha irmã caçula seguiu nossos passos e está em curso de formação com formatura prevista para agosto. Meu nome é Rose Kreitmeier, sou Soldado da Brigada Militar há 14 anos, destes, 12 atuando em Soledade, onde por 5 anos trabalhei diretamente com crianças e adolescentes no PROERD (Programa de Resistência às Drogas e à Violência).

Sou bacharel em Direito, curso que me proporciona o concurso interno para chegar ao posto de Capitão. Ser mulher, é harmonizar tantas atribuições juntas. É ter muitas responsabilidades nos dois universos, sendo firme e segura, pois mesmo com as dificuldades dessa profissão, encaramos as atividades com muito profissionalismo e orgulho, e sem perder o charme de ser mulher, demonstrando que para fazer essa escolha, não é preciso deixar de ser feminina, é preciso apenas se identificar, e ter orgulho do que faz”.