Tah Ligado

Soledadense se destaca em desafio mundial de jogos na França

Por Informativo Regional

O jovem soledadense, Mateus Bohrer, de 19 anos de idade, filho de Neri Bohrer Júnior e Dolores Wommer, tem feito história no cenário mundial. Em junho, o estudante de Psicologia e único jogador brasileiro foi um dos finalistas do game virtual, Trackmania Cup, realizado em Strasbourg, na França. O campeonato teve início dia 29 de junho, iniciando com

3.188 jogadores, onde apenas oito chegaram à final.


Jogando em simuladores de competição de corrida, parecidos com os da Fórmula 1, a disputa foiem duplas, em que Mateus (Matt, seu codinome no torneio) teve como parceiro, o alemão, Finn Buecklers (codinome Revolution, de 22 anos).Como premiação pela conquista do terceiro lugar, a dupla recebeu a quantia de 500 Euros(cerca de 2.170 reais).

Mateus explicou que ele e sua dupla fizeram parte das 1.594 inscritos que disputaram várias etapas, jogando onine de seus computadores, até chegar aos 16 semifinalistas,ou seja, oito duplas. “A maneira que jogamos no campeonato é com todos os carros começando no mesmo lugar, onde nenhum pode bater no outro. No jogo, todos estão na mesma pista e o tempo, só que simultaneamente, tendo como principal objetivo a linha de chegada passando por todos os lugares que devem ser percorridos o mais rápido possível. Tendo ainda, um conceito de rodadas, eram dezessete pistas, com cinco rodadas cada uma, em que tinha que ser o mais rápido e consistente para conseguir se qualificar.

A primeira parte da disputa era online, em que jogamos um sábado e domingo inteiro, disputandoa classificatória, depois, a última fase foi na França”, informou ele.“Tive viagem e hotel pagos para ir até lá, onde além de ir só pelo campeonato, eu aproveitei paraconhecer a Europa também Fiquei por dez dias e, foi muito bom. Essa etapa da minha vida foi surreal e incrível, pois conhecer as culturas de outros lugares que eu não tinha conhecimento foi uma experiência maravilhosa. Conheci muitas pessoas que, eu só conversava pelo computador,sendo uma sensação diferente conhecê-los pessoalmente”, declarou o jogador.

Ele também disse que, no ano passado, ele jogou e ficou nas quartas de final, em que quem passasse por essa etapa, seria presencial e, teria de ir até a França, porém ele perdeu. “Depois disso, minha mãe disse que o jogo só me dava nervosismo e eu teria que parar, contudo falei que tentaria novamente este ano e, tive muito apoio dos meus pais. Meu grande suporte foi eles, que entraram

nessa disputa comigo, onde tive grande destaque e estou muito feliz por essa conquista”, pontuou ele.