Notícias

Adão Dias busca resgate histórico do Recital de Canto e Poesia

Por Keilly Camargo

Durante a tarde de terça-feira, 30/7, na sede da 25ª CRE (Coordenadoria Regional de Educação) com sede em Soledade, foi realizada uma reunião buscando o resgate histórico do Recital de Canto e Poesia do Município. O ato se dá em virtude da comemoração dos 10 anos da ASL (Academia Soledadense de Letras), onde será lançado um livro que terá, em anexo, o resgate histórico do recital que será feito pelo presidente, Adão Dias.

No encontro com representantes da 25ª CRE foi abordada toda a história do recital, além de apresentação de fotos mostrando como ele era desde o início. Ainda, foram expostas pelos presentes, lembranças da trajetória em que cada um teve e passou com o evento.

Adão explicou de onde surgiu a ideia para esse resgate. “Cada participante da ASL, vai tentar descrever alguma coisa das suas atividades culturais na comunidade, para ser anexada ao livro que vamos lançar na Feira do Livro, comemorativo aos nossos 10 anos. E como eu participo, apresento e coordeno o Recital de Canto e Poesia no GAN Vaqueanos da Cultura, estive na 25ª buscando resgatar o nascimento e a criação dele”, informou ele.

”Este foi criado pela Coordenadoria nos anos 90 e 92, onde após, suas edições foram suspensas, com isso o Vaqueanos resgatou este Recital e traz, atualmente, em todos os meses de setembro, ao palco”, acrescentou.

“Minha participação no Recital de Canto e Poesia é em nome da Academia de Letras. Evidentemente, antes de mim, muitas pessoas cultas ligadas a esse movimento participaram, apresentaram e fizeram o possível para ele acontecer. Por isso, participo e tenho muito orgulho desse evento cultural criado pela 25ª CRE”, elogiou Adão.

Além disso, ele observou que este trabalho envolve muita pesquisa para que, assim, haja o resgate histórico do evento. “O Recital teve sua criação, através de estudos, nas estâncias de antigamente. Onde uma vez por mês, representantes, peões, patrões ou membros de cada estância se reuniam para fazer um momento cultural, nominado, naquela época, sarau, sendo um movimento lindo, com apresentações e conversas”, continuou complementando.

“Baseado nisso, hoje realizamos o Recital nos mesmos moldes, com o mínimo de luz e sem microfone na mão, buscando relembrar esse ato de antigamente. Nosso objetivo é mostrar o que a Academia Soledadense de Letras traz culturalmente de bom para nossa Soledade. Ademais, haverá a participação da Coordenaria de Educação na formatação desse trabalho, através da coordenação da professora Jair Paludo”, destacou o presidente.