Esportes

FURACÃO PARANAENSE PERCORRE O BRASIL

INTERNACIONAL

Por Informativo Regional

Por Thiago Soldatelli


O último jogo da final da Copa do Brasil teve de tudo: reclamação em gol, gol chorado, drible com lance de brilhantismo e gol no final. Tudo isso fez parte da eletrizante final, que terminou com o primeiro título do Athletico Paranaense.

O jogo foi dividido em dois momentos, que, curiosamente, envolveram os dois tempos. O primeiro tempo foi marcado com um jogo de ataque contra a defesa, em que o Internacional começou muito intenso e agressivo. Nico Lopes obrigou o goleiro Santos a fazer grande defesa já no primeiro minuto de jogo.

O primeiro gol da disputa saiu aos 27 minutos em um contra ataque do time paranaense, o jogador Rony, em um lance de extrema velocidade pelo lado esquerdo de ataque, puxou, tocou para Marco Ruben, que tocou para Léo Cittadini, que tocou para o fundo da rede: 1 a 0 para Athletico. O lance do gol foi marcado por muita reclamação por parte dos jogadores colorados que alegaram que o jogador Wellington estava caído, no qual a bola deveria ser colocada para fora para atendimento, mas que o juiz mandou o jogo seguir.

Após o gol, o jogo ficou ainda mais eletrizante. O Inter se jogou para cima do time do Paraná e o gol de empate nasceu em uma cobrança de escanteio aos 30 minutos. Nico Lopes cobrou escanteio pelo lado esquerdo de ataque colorado, a bola viajou dentro da área em que a defesa paranaense não conseguiu afastar, gerou um bate e rebate até que Nico Lopes a empurrou para as redes, a final estava empatada em 1 a 1.  

O primeiro tempo terminou empatado com o Internacional mais agressivo e intenso.

Os últimos 45 minutos da final foi outro jogo, em que o Internacional cedeu os espaços do meio campo para o Athletico que, a partir desse momento, controlou o jogo.

O técnico Odair Hellman mexeu mal no time na segunda etapa. Logo no início, Rafael Sóbis entrou no lugar de Patrick. Sóbis até entrou bem, mas o time colorado ficou sem meio campo.

O atacante colorado criou boas oportunidades de perigo. Uma falta bem batida no início da segunda etapa cruzou uma bola aos 15 minutos em que Guerreiro e Cuesta se atrapalharam.

O técnico colorado ainda colocou Guilherme Parades no lugar de Wellington Silva e Nonato no lugar de Bruno.

O Athletico levava perigo nas escapadas pelo lado esquerdo com Rony, principal jogador do time paranaense no jogo.

O técnico Tiago Nunes, percebendo que o time colorado não tinha meio campo, colocou Marcelo Cirino no lugar de Marco Ruben, com a finalidade de explorar os contra ataques.

Aos 51 minutos, o Athletico chegou ao seu gol em uma jogada de brilhantismo de Marcelo Cirino que, cercado por dois marcadores colorados, fez um giro aplicando uma caneta no defensor colorado que invadiu a área e tocou para Rony fazer o gol do título.

Com o título, o Athletico é o 12º clube a conquistar a Copa do Brasil, e já garante vaga para a Libertadores do próximo ano.

Para o Internacional restou o Campeonato Brasileiro para disputar. Atualmente, o time ocupa a 4ª colocação, com 33 pontos, nove atrás do Flamengo. O colorado enfrenta a Chapecoense pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro.