Fotos

Confira as fotos do encerramento da oficina de gaita

Por Informativo Regional

Gaiteiro por demais

Troquei meu cavalo baio, e uns arreios que eu tinha

Por uma cordeona velha, só pra tocar pras prendinhas

Cresci carpindo mandioca, dormindo pelas tafonas

Hoje eu lido no teclado, da minha velha cordeona

E ninguém acreditava

Que eu fosse virar gaiteiro

Hoje eu vivo encilhado

Num balanço bem campeiro

Gaiteiro, oh! Gaiteiro por demais eu sou!

Gaiteiro, oh! Aonde o vento vai eu vou!

O meu pai sempre dizia: oh, guri vai estudar!

Pois depois que eu me for, ninguém vai te sustentar

Meu velho, fica tranquilo, teu filho hoje é um baita

Pois ganho a vida com honra, abraçado na minha gaita

O meu pia desde pequeno, conhece bem o meu toque

Já me pediu uma gaita, em vez de bola ou bodoque

Quero que cresça tocando, por este rio grande inteiro

Vou lhe deixar de herança, a tradição de gaiteiro