Série de Reportagens

Júnior Koch Berté - Presidente do PP

Eleições 2020

Por Informativo Regional

As eleições municipais 2020 estão se aproximando e é nítida a movimentação de pré-candidatos que pretendem disputar o cargo de prefeito, vice e vereadores em Soledade. Dessa forma, conversamos com os presidentes de partidos do Município para entender quais são suas expectativas e perspectivas para os rumos dos próximos quatro anos de Soledade. 


Júnior Koch Berté (PP)

IR: Como você vê as eleições 2020?

“Acredito que as eleições 2020 serão atípicas, devido a pandemia, crise econômica e dificuldades vivenciadas. Muitas vezes, esses fatores influenciam na decisão das pessoas em colocarem seu nome à disposição, tanto para vereador quanto prefeito e vice. No meu ponto de vista, há muitas lideranças e empresários que poderiam auxiliar no crescimento de Soledade”.

“O Progressistas sempre fez história em Soledade, sendo o partido que praticamente construiu a nossa cidade, estando sempre em evidência e ocupando cargos, principalmente o de prefeito. Porém, com o passar dos anos, tivemos muita dificuldade em encontrar uma liderança que pudesse representar o partido, haja visto que temos pessoas capazes para fazer isso, mas muitos não querem sair de sua zona de conforto devido à grande dificuldade já citada”.

IR: Qual motivo de não lançar candidatura própria?

“Para as eleições deste ano, o PP possuía nomes postulantes à candidatura de prefeito e vice, mas em comum acordo com os companheiros da sigla, chegamos à conclusão de apoiar os pré-candidatos do PSDB. Observamos neles, a capacidade e seriedade que podem acrescentar e ajudar o nosso Município. Todavia que futuramente, nas próximas eleições, o PP terá pré-candidatos a prefeito, e isso já ficou definido em reunião interna do partido”.

IR: Porque não apoiar a atual administração?

“Respeitamos a atual administração, mas há muitas coisas que não concordamos, e por isso, não poderíamos assumir a responsabilidade de ir para a eleição apoiando-os. Até conversamos e andamos próximos para uma possível coligação, mas devido as divergências que as lideranças de ambos partidos possuem, por não pensarem naquilo que é melhor para o Município, a coligação não se concretizou. Queremos mudar muitas coisas, e sabemos que as dificuldades do próximo ano serão muitas, por isso pessoas sérias e comprometidas devem estar gerindo o Município”.

IR: Observando o atual cenário político com seus pré-candidatos definidos, quantas cadeiras no legislativo você acredita ocupar?

 “Trabalhamos na organização do nosso partido, de uma forma bem completa, arrumando algumas situações que estavam adversas. Também, fomos buscar novos nomes, filiados e possíveis pré-candidatos, dessa forma, acredito que nossa nominata de pré-candidatos a vereadores é muito boa, onde contamos com 11 homens e 5 mulheres, ou seja, são 16 pré-candidatos. Queremos, no mínimo, repetir as três cadeiras que atualmente ocupamos no legislativo. Sabemos que não é fácil, mas temos nomes importantes e lideranças relevantes do Município”.