Notícias

Executivo busca cogestão para flexibilização do comércio e atividades

Por Informativo Regional

Executivo busca cogestão para flexibilização do comércio e atividades


Em bandeira preta na região de Passo Fundo nesta semana, a prefeita de Soledade, Marilda Borges Corbelini, busca a modificação do sistema de cogestão em vigor no município para ter bandeiras mais brandas em Soledade. 

No sábado, 20/02, o governo do Estado publicou decreto que traz as definições sobre a suspensão geral de atividades entre 22h e 5h, todos os dias. A medida valerá, pelo menos, até as 5h do dia 2 de março. 

Além da proibição de abertura de qualquer estabelecimento para atendimento ao público, também ficam vedadas festas, reuniões ou eventos, formação de filas e aglomerações nos recintos ou nas áreas internas e externas de circulação ou de espera, bem como nas faixas de areia das praias, calçadas, portarias e entradas de prédios e estabelecimentos, públicos ou privados.

O decreto não se aplica a farmácias, hospitais e clínicas médicas, serviços funerários, serviços agropecuários, veterinários e de cuidados com animais em cativeiro, assistência social e atendimento à população vulnerável, hotéis e similares, postos de combustíveis e estabelecimentos dedicados à alimentação e hospedagem de transportadores de cargas e de passageiros, estabelecimentos que funcionem em modalidade exclusiva de tele-entrega e Centrais de Abastecimento do Rio Grande do Sul (Ceasa). A suspensão geral também não atinge atividades industriais noturnas.

De acordo com a prefeita Marilda, o município está aguardando a possibilidade para buscar a cogestão e retornar para bandeira vermelha. “Estamos buscando a cogestão e se conseguirmos iremos continuar nossas atividades e trabalhos, mesmo com bastante restrições, mas sem precisar fechar. Acredito que o resultado deste momento difícil que estamos vivenciando é devido ao relaxamento que a população teve, em virtude da chegada das vacinas e do carnaval”.

“É notável que o maior índice está em junções, porque no comércio as pessoas estão de máscara e tomando os cuidados necessários. Precisamos saber que, infelizmente, ainda estamos em épocas de pandemia e precisamos adotar muitos cuidados, para não acabar trazendo danos irreversíveis para nossas famílias”, complementou a prefeita.

Marilda destaca que na última semana foi realizado mais um encontro do projeto “Café com a Prefeita”, na Linha Curuçu, mas com todos os cuidados. “Tomamos todas as medidas de acordo com a bandeira que estávamos, onde poderíamos ter até 70% das pessoas e estávamos com 50%, todos com máscara, tirando-a apenas para falar. Se tivéssemos permanecido nesta bandeira, tínhamos organizado para essa semana a reunião em Santa Terezinha que, por enquanto, está cancelada devido a nova bandeira”, afirmou.

Acerca do retorno das aulas, a prefeita enfatiza que é necessário aguardar a possibilidade de cogestão para a viabilidade de trabalhar ou não. “Esperamos que sim, porque não estamos neste quadro difícil devido as escolas, pois estão fechadas. Nosso intuito é recomeçar, pois sabemos que há muitos pais que não tem onde deixar seus filhos e que precisam trabalhar. Porém, precisamos, primeiramente, obedecer ao Decreto Estadual e depois. Mas quero deixar claro que tudo aquilo que for possível, nós vamos buscar, para que de forma alguma não descuidemos desse momento de pandemia, mas que possamos com todos os cuidados continuar com o comércio aberto e, se possível, retornarmos de forma hibrida ou presencial as escolas, não sabemos se é possível, mas vamos buscar todas as possibilidades para que isso ocorra”, acrescentou a gestora. 

“Se o governador publicar o novo Decreto hoje, as 16h, estaremos trabalhando no turno da noite para organizarmos o nosso Decreto e a partir de amanhã termos as linhas de como serão os próximos dias”, finalizou Marilda.