Notícias

Do sonho à realização

Administração Municipal inaugura elevador para melhorar a acessibilidade no Centro Cultural

Por Informativo Regional

Proporcionar melhor acessibilidade ao prédio do Centro Cultural de Soledade. Essa é uma das finalidades do elevador inaugurado pela administração municipal na tarde de segunda-feira, 6/9.

Agora, as pessoas idosas e com deficiência ou mobilidade reduzida têm acesso facilitado aos eventos realizados no local. A obra, conforme o executivo municipal, teve um investimento de cerca de R$ 100 mil.

Durante a cerimônia de inauguração, a prefeita Marilda Borges Corbelini destacou a satisfação e alegria em poder entregar para a comunidade mais uma grande conquista, ressaltando que o elevador era um pedido antigo da população. “A demora da entrega não se deu por falta de vontade da gestão anterior e nem por falta de trabalho, mas por alguns empecilhos que ocorreram ao longo do caminho. Mas essa é uma atitude pensada por todos nós, tendo em vista que em diferentes momentos percebemos a necessidade de muitas pessoas não conseguirem subir as escadas para prestigiar os espetáculos oferecidos pelo Centro Cultural”, considerou.

A gestora ressalta que o Centro Cultural é um espaço para todos, onde as pessoas tem lugar e vez, tanto para ser artista quanto para ser plateia. “Nós temos que dar condições para todos aqueles que veem na cultura uma forma de desenvolvimento e oportunidade para apreciar tudo de belo que é feito no Centro Cultural. Nós, enquanto Cidade Educadora, não poderíamos trabalhar diferente, pois os espaços devem ser apropriados para as pessoas. Esse não é apenas um elevador, é uma forma de acesso à cultura para o povo soledadense e a região”, afirmou.

Presente na inauguração, o ex-prefeito Paulo Ricardo Cattaneo destacou que as tratativas do projeto iniciaram em 2017, quando assumiu a prefeitura e se deparou com a situação de que o elevador havia sido aprovado pela Consulta Popular da época. “Teoricamente, havia um recurso do Governo do Estado para ser aplicado no elevador, quando fomos várias vezes a Porto Alegre para ver a situação deste valor, mas só tinha no papel, não havia nenhuma previsão orçamentária. Trabalhamos três anos em cima desta questão, conversando com lideranças politicas da época, até que nos disseram definitivamente que o recurso não ia sair”, explica.

Com a situação, a municipalidade optou por implantar o elevador com recursos próprios. “Iniciamos fazendo uma economia de recursos para adquirir o elevador, depois realizamos o processo licitatório e a empresa que ganhou a licitação começou a fazer o projeto e desenvolver a obra, mas depois desistiu. Diante disto, voltamos à estaca zero, onde tivemos que fazer tudo novamente”. 

No último ano da gestão de Cattaneo, em 2020, iniciaram-se novamente as obras do elevador no Centro Cultural. “Hoje, graças a Deus a prefeita Marilda está entregando esse elevador para a comunidade soledadense, que tem uma importância e utilidade muito grande. Essa era uma reivindicação bastante antiga, principalmente para as pessoas especiais e as da melhor idade, que muitas vezes se privavam de vir ao Centro Cultural e deixavam de ver uma apresentação porque eram três andares de escada. Agora, com a inauguração do elevador, temos certeza que vamos fomentar e valorizar muito a arte e cultura do nosso município, fazendo com que mais pessoas possam frequentar o Centro Cultural e prestigiar as apresentações, os nossos artistas e todos os eventos. Hoje, sem dúvidas, o sentimento é de dever cumprido”, enalteceu Cattaneo.

Quem também esteve presente na ocasião foi cadeirante Victor Telles Casagrande e sua mãe Liziane Telles, que emocionada falou sobre a importância do elevador para a acessibilidade do filho ao Centro Cultural. “Nesse momento foi devolvido, não só ao meu filho, mas a todos aqueles que tem privado o seu direito de ir e vir, a liberdade de participar de todos os eventos e chamamentos que a comunidade realiza através do Centro Cultural. Esse elevador diz ao meu filho que ele não precisa mais se preocupar em ocupar a minha garupa, porque era nas minhas costas que ele subia os degraus. Hoje, ele pode subir as escadas do Centro Cultural, ainda acompanhado, mas não precisa mais se preocupar em não estar aqui. Tenho certeza que muitos outros vão usufruir deste direito com ele”, ponderou a mãe.

Homenagem a João Carlos Blazina

O elevador leva o nome de uma das pessoas que por anos contribuiu para com as atividades do Centro Cultural, sempre recepcionando a todos com alegria e respeito. João Carlos Blazina, carinhosamente conhecido como Seu João (In Memoriam), trabalhava na portaria do Centro Cultural e era o Papai Noel que alegrava as famílias soledadenses.

Na oportunidade, a prefeita Marilda relembrou o a prestatividade e dedicação que Seu João tinha ao receber todas as pessoas que frequentam o local. “Ele que fazia a recepção, que era artista, que era o nosso Papai Noel. Quando foi sugerido o nome do Seu João, nós imediatamente concordamos por saber de toda a contribuição e carinho que tinha para com o Centro Cultural, bem como à cultura, a arte e o povo soledadense. Essa é uma homenagem que prestamos, mas a maior de todas foi a que ele nos deu durante a sua vida, através do seu trabalho, dedicação, responsabilidade e a forma singela de dizer que sempre estamos prontos para tudo. Cidadãos como ele nos dão orgulho e nunca devem ser esquecidos”, reconheceu.

Por fim, a esposa Maria estendeu sua gratidão pela homenagem dedicada ao marido. “Ele amava todos de coração, e faleceu pedindo para que eu cuidasse de todos os seus colegas e do seu trabalho. Ele deixou um carinho imenso para todos, pois com cada um aprendeu um pouquinho, e cada um era como filho para ele. Em meu nome e da minha família, agradecemos essa grandiosa homenagem e com certeza de onde ele estiver está nos mandando coisas boas”, finalizou.

 

Fotos: Édna Malaquias