Reportagem Especial

Professor é destaque regional na Educação

Por Informativo Regional

Sua trajetória teve início na informática, quando atuou como assessor de informática na E.M.E.F. Antônio de Godoy Bueno, onde criou métodos com as turmas pautados em projetos criados pelo próprio docente. Depois, atuou por quase cinco anos como docente de filosofia nas instituições públicas de Mormaço, escolas municipais José Rodrigues Cardoso e Antônio de Godoy Bueno, que através de seu conhecimento com projetos pedagógicos elencou a I edição do Soletrando; I campeonato de Xadrez; Concursos de desenhos e textos; Educação Fiscal através de projetos e aulas inovadoras que foram prendendo a atenção por parte dos alunos.

Neste tempo, também teve uma passagem pela Secretaria Municipal de Educação- SMECD, no qual criou o projeto Laranja Diferente pelo Programa União faz a Vida, que ficou marcado na lembrança dos alunos e da comunidade regional. O professor ainda conquistou junto com sua colega Dinéia Prestes, o 1º lugar no Campeonato de Futsal Regional da Tacinha Sicredi, no feminino, além de colocações no volêi feminino e masculino.

Jackson Adair Gonçalves, após seu trabalho em prol da educação mormacense, teve um notório destaque ao ingressar no magistério estadual de ensino, permanecendo até o momento. Criou inúmeras palestras educacionais durante a pandemia via aplicativo Meet. “Durante o tempo que estive como professor municipal, várias palestras foram criadas como forma de aproximar o educando de sua realidade e também do conteúdo explanado. Essa sempre foi minha metodologia de ensino, alinhar a teoria com a prática. Na rede estadual, tive meu projeto de estudo sobre criminalidade e violência contra a mulher, sendo destacado pela Secretaria Estadual de Educação do Estado do Rio Grande do Sul, isso é uma honra poder levar o que é feito regionalmente para todo Estado”, frisa o professor Jackson.

Durante a Semana Farroupilha, Jackson realizou um trabalho afinco com as turmas do ensino médio onde atua, através da pesquisa sobre a historicidade do Estado, mencionando às turmas um pouco da história de Bento Gonçalves, David Canabarro, Giuseppe Garibaldi e Anita Garibaldi. Na escola estadual Joaquim Gonçalves Ledo, o docente em parceria com a direção e orientação educacional criou a palestra sobre a indumentária gaúcha e historicidade do povo gaúcho com a professora Vera Bertani, e também sobre a autoria da Lei Municipal que torna obrigatória a inclusão da temática nas escolas municipais, contando com a presença do vereador Edson Schroeder que conduziu a fala.

Sua trajetória profissional na educação é sempre acolhida com sucesso por seus alunos, que interagem e socializam em suas aulas de filosofia, sociologia, ensino religioso e geografia. "Fico realizado quando recebo mensagem de um aluno dizendo que entendeu o conteúdo ou que minha metodologia de aprendizagem é diferente, que faz com que gostem das disciplinas. Tento fazer o máximo para que os educandos saiam satisfeitos com as aulas, sei que não sou perfeito, mas procuro sempre estar estudando e evoluindo, para que tenham mais qualidade no ensino”, destacou.

Jackson tem experiência não só em projetos, mas como também em palestras para os ensinos. O docente atuou na VIII Semana do Conhecimento da UPF como professor mediador em duas sessões, que totalizaram 16 trabalhos apresentados, entre acadêmicos, mestres e doutorandos.

Jackson Gonçalves já teve trabalhos aprovados e apresentados em Congresso Internacional de Altos Estudos em Educação, e estará apresentando seu trabalho aceito na última semana, no Congresso Internacional de História da UPF. Já pelo evento da Uninter, também teve trabalho científico aceito sobre o Patrimônio Cultural e religiosidade de Nossa Senhora dos Navegantes, tema este de sua dissertação do mestrado. "A gente passa pesquisando, estudando, assistindo documentários, as vezes até as duas horas da madrugada. Nada é fácil. Tem que preparar uma boa aula ao mesmo tempo, é corrido. Mas no final quando você olha para trás você vê o tanto que evoluiu. Além disso, eu coloco muita fé nos meus objetivos, não me preocupo com comentários não construtivos, até porque ninguém sabe da minha luta diária”, finaliza o professor.

Os próximos objetivos, segundo o docente, é de que tem muito projeto inédito até final do ano, contando com a parceria da 25ªCRE e de profissionais da SEDUC-RS.

 

Foto: Divulgação